marca do Jornal A TARDE

 
  • Início
  • Artigo
  • A força do Business Intelligence em tempos de crise
http://maisti.atarde.com.br/wp-content/uploads/2018/06/BI-960x600_c.jpg

A força do Business Intelligence em tempos de crise


Escrito por: Igor Mascarenhas / Co-autoria: Felix Muniz e Daniel Messeder


“Dados são o que você precisa para fazer ANÁLISES. Informações são o que você precisa para fechar NEGÓCIOS.” John Owen

 

Em bons tempos, as empresas utilizam o BI (Business Intelligence) para potencializar os seus negócios através de tomadas de decisões mais assertivas. Em maus tempos, elas precisam dele para descobrir como potencializar suas vendas e cortar os gastos desnecessários. Mas como é possível aproveitar ao máximo as soluções propostas pela inteligência empresarial, especialmente nos períodos mais adversos?

Estudos conduzidos pela University of Western Macedonia(1) demonstram que, apesar das pequenas e médias empresas reconhecerem as vantagens e benefícios oriundos da utilização do BI, as capacidades de suas ferramentas são subutilizadas, pois os gerentes não aproveitam plenamente o conhecimento e experiência adquiridas por sua utilização. Por decorrência disto, tornam-se desapercebidos do verdadeiro potencial que o BI oferece.

Enquanto os KPI’s (indicadores-chaves do negócio) estão positivos, os diretores ficam satisfeitos, bem como todos abaixo deles. As pessoas são encorajadas a propor novas ideias porque a empresa tem capital para investir. De repente, fatores internos/externos causam paralisações e recessões, impactando diretamente no faturamento da empresa.

É tempo de crise, e tempo de crise significa duas coisas:

  1. É preciso encontrar novos meios para aumentar e otimizar as vendas;
  2. É preciso cortar gastos.

Apesar de não ser bem-vindo nem pelo dono do negócio nem por seus empregados, cortes de custo são necessários. Analisando cada despesa, a otimização da estrutura de custos torna-se a ordem principal. Cada centavo gasto além do que é vital faz-se erguer a bandeira vermelha, como de fato deve ser em tempos adversos. Contudo, apesar de crucial, cortar despesas de forma equivocada pode ser devastador para o crescimento e sobrevivência de uma empresa. É nesse cenário que entra o BI, proporcionando o acesso rápido e direto às informações de fundamental importância para a correta tomada de decisões em assuntos delicados, recessões ou momentos de aperto, como o downsizing ou simplesmente a redução de gastos.

Estudos elaborados pela Falqon demonstram que cortar investimentos em BI é uma das piores medidas adotadas em tempos difíceis². É justamente o BI que possibilita o acesso às principais informações sobre o negócio, e o gerenciamento sem dados é um dos principais motivos pelo qual gerentes e diretores tomam as decisões erradas. Mas como realizar investimentos adicionais quando estamos procurando meios de minimizar os custos? A resposta para essa pergunta poderá ditar o destino de uma companhia.

Recentemente, vivemos um período inusitado com uma crise gravíssima de logística e suprimentos que ficou denominada de “greve dos caminhoneiros”. Durante o período de paralisação, pudemos perceber que muitos estabelecimentos de varejo rapidamente esgotaram as suas mercadorias, gerando um impacto negativo para o negócio como também para seus clientes. Entretanto, grandes redes de varejo adotaram uma estratégia de limitar a quantidade de itens comprados por cliente. Apesar de ser uma inconveniência, com essa medida o público pôde ser atendido e a temida ruptura no estoque foi reduzida ou protelada. Para agir com celeridade, essas empresas estavam cuidadosamente monitorando os seus indicadores de estoque e fornecimento através das suas ferramentas de BI, tendo um controle otimizado do seu gerenciamento interno. Esse é um excelente exemplo de como o BI auxilia em situações onde decisões críticas precisam ser tomadas em um curto espaço de tempo. A crise não surge com antecedência de forma que todos possam se planejar, pelo contrário. Como vimos com a “greve dos caminhoneiros”, o problema surgiu de forma repentina e não há dúvidas de que as empresas com o devido controle de seus números e indicadores através das ferramentas de análises puderam gerenciar a situação de forma mais assertiva.

Como as empresas inteligentes utilizam o BI em tempos de crise?

Quando passam por adversidades, companhias inteligentes utilizam as suas aplicações e dashboards analíticos, procurando precisamente seus pontos de ineficiência, bem como novas oportunidades de exercer táticas de vendas arrojadas. Com base nessas informações, são elaborados planos de ações antes de cortar com acuidade seus principais ofensores, pois elas entendem que simplesmente cortar custos e despesas sem os devidos estudos e análises pode gerar o efeito contrário. Ao invés de trazer benefícios e otimizar o “bottom line” ou a margem líquida, essa redução pode acabar colocando a empresa em um caminho sem volta para o fracasso.

Algumas empresas tendem a adotar medidas mais drásticas. O investimento em BI, por ser considerado por elas como um novo investimento, é adiado. Então, sem o BI, as decisões são, em muitos casos, tomadas com base em informações incompletas, não devidamente atualizadas ou até mesmo, em situações extremas, baseadas no empirismo. Como é de se esperar, o risco de que a tomada de decisão não seja assertiva aumenta significativamente neste cenário, e isso pode gerar resultados devastadores.

Conclusão

O BI torna-se uma ferramenta de vital importância nos momentos difíceis. Ainda existem empresas que temem investir nessa área quando passam por adversidades, contudo torna-se evidente que as ferramentas de Analytics (análise de dados) permitem chegar à insights poderosos, auxiliando na gestão da companhia e servindo como base para a adaptação e elaboração de modelos de negócios mais adequados e eficientes. Em tempos de crise, o BI revela-se um poderoso aliado na indicação do melhor caminho a seguir.

 

Referências

1 Business Intelligence During Times of Crisis: Adoption and Usage of ERP Systems by SMEs – https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1877042815012641

2 Informação obtida através de estudos internos da Falqon, realizados entre os anos de 2013 a 2018.

BI and the economic crisis – https://peterjamesthomas.com/category/business-intelligence/bi-and-the-economic-crisis/

Multi-bi aid and effects of the 2008–10 economic crisis on voluntary development assistance for health contributions: a time series analysis – http://www.thelancet.com/pb/assets/raw/Lancet/pdfs/new-voices/newvoices2012-4.pdf

Business Intelligence In Bad Times: Dashboarding Your Way Out of the Crisis – https://bisonanalytics.com/blog/business-intelligence-in-bad-times-dashboarding-your-way-out-of-the-crisis/?nabe=6271760876175360:0&utm_referrer=https%3A%2F%2Fwww.google.com.br%2F

Desperately seeking a cash cure – https://www.economist.com/node/12636353/print?story_id=12636353

Victor Mansur

Outras postagens de

Menu