marca do Jornal A TARDE

 
http://maisti.atarde.com.br/wp-content/uploads/2018/03/06-960x600_c.jpg

Mulheres da TI na Bahia: É uma regra ou exceção?


Encontrar mulheres ocupando cargos técnicos na área de tecnologia da informação não era uma tarefa muito fácil se tivéssemos há uns 15 anos atrás, mas um estudo recente da CompTIA (2014) informa que mesmo sendo homens em sua maioria nos cargos de tecnologia (76%), a quantidade de mulheres nesta área que se sentem felizes profissionalmente, reconhecidas e contentes com sua remuneração é superior a 71%. A pesquisa também aponta que as mulheres que ocupam estas funções normalmente apresentam um desempenho acima da média. Para o presidente da ASSESPRO-BA – Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação Regional Bahia, Carlos Eduardo Pereira, isso já sinaliza que aos poucos o cenário da TI está mudando: “Antigamente se questionava se a mulher ia dar conta, mas hoje encontramos vários exemplos de sucesso”, comenta.

Dá para perceber que as mulheres que escolheram exercer a profissão na área de tecnologia da informação, se comprometem para valer e a permanência delas já traz um valor indiscutível para o setor. A ASSESPRO-BA resolveu ouvir algumas destas mulheres, profissionais qualificadas, competentes e acima de tudo afinadas com as tendências do setor. Confiram o recado delas logo abaixo:

 

Raquel Santos, sócia – diretora da RHSoft

“Ser empreendedora é um grande desafio e ainda mais no mercado de TIC onde o ambiente é ainda muito masculino mas isso está mudando. As mulheres estão conseguindo conversar no mesmo idioma e isso facilita bastante o nosso crescimento dentro deste setor e conseguimos ser ouvidas e também admiradas. Ainda temos muito o que desbravar e na minha opinião ações para desmistificar o ambiente de tecnologia da informação são importantes e necessárias. As dificuldades e desafios da mulher no mercado de TIC são os mesmos encontrados em outras áreas cujo o perfil idealizado dos profissionais é o gênero masculino. Acredito que precisamos compreender que cada gênero traz uma contribuição importante e se correlacionar é interessante para resolver qualquer tipo de problema/situação juntos trazendo soluções mais amplas e mais completas.”

Joselene de Jesus, da Total Informática

“Como é uma área em sua maioria masculina, a mulher gestora e dona de negócio em TI, ela precisa ser acima de tudo afinada com as novidades, preparada para competir em condições de igualdade”.

Luzimar Azevedo, da Atena Tecnologia

“O maior desafio é não permitir que o mercado lhe enxergue como mulher ou homem, e sim, como uma profissional qualificada e competente”

Veja mais fotos:

Victor Mansur

Outras postagens de

Menu