marca do Jornal A TARDE

 
  • Início
  • Notícias
  • CEOs do setor de Saúde estão preocupados com os crimes cibernéticos, mas apenas 48% se previnem contra os ataques
http://maisti.atarde.com.br/wp-content/uploads/2017/04/shutterstock_252971932-1024x709-678x381-960x600_c.jpg

CEOs do setor de Saúde estão preocupados com os crimes cibernéticos, mas apenas 48% se previnem contra os ataques


O impacto da tecnologia na indústria é a maior preocupação dos líderes: 86% dizem que a tecnologia irá reformular a concorrência nos próximos cinco anos

Cerca de 75% dos CEOs do setor de Saúde acreditam que é mais difícil para as empresas ganhar e manter a confiança no mundo digital por conta da crescente violação na segurança de dados. Embora a maioria dos líderes (63%) esteja tomando medidas para preservar os dados das corporações, um número menor, 48%, está se prevenindo em relação à segurança cibernética. A média global é de 52%. Os dados constam no relatório A new treatment: Healthcare findings, que analisou as respostas dos CEOs do setor de Saúde, de 27 países, que participaram da 20ª Global CEO Survey.

O estudo revelou que o impacto da tecnologia na indústria é o tema que mais preocupa os CEOs de Saúde: 86% dizem que a tecnologia irá reformular a concorrência nos próximos cinco anos e 71% dos entrevistados estão preocupados com a mudança tecnológica. Além disso, 75% dos CEOs do setor acreditam que está mais difícil manter a confiança dos stakeholders em um ambiente cada vez mais digital – mais do que a média global representada por 69% dos respondentes.

Os líderes do setor reconhecem que a tecnologia tem o potencial para moldar e criar oportunidades, especificamente quando o assunto é capital humano. Os resultados mostram que 59% estão explorando os benefícios do trabalho colaborativo entre humanos e máquinas (em comparação com a média global de 52%) e 82% estão planejando usar a tecnologia digital no treinamento (ante 65% dos entrevistados globais).

“Levando em consideração a sensibilidade dos dados do setor, não é nenhuma surpresa que os CEOs estejam preocupados com a influência da tecnologia na confiança do consumidor. No entanto, como mostram os resultados da pesquisa, o líderes empresariais do setor de Saúde podem adotar uma postura mais assertiva sobre como lidar com essas questões e aproveitar as oportunidades que a tecnologia digital abre”, diz Eliane Kihara, sócia da PwC Brasil e especialista no setor de Healthcare.

Abaixo outros resultados da pesquisa:

  • 64% dos CEOs de Saúde acreditam que a globalização facilitou a conectividade. No entanto, apenas 14% dos entrevistados acreditam que a globalização está diminuindo a diferença entre ricos e pobres, e 32% acreditam que está criando uma força de trabalho mais qualificada e educada.
  • As três principais preocupações dos CEOs de Saúde são excesso de regulação (84%), crescimento econômico incerto (82%) e incerteza geopolítica (80%).
  • CEOs de Saúde, como CEOs de outros setores, sentem-se muito confiantes sobre o crescimento da receita nos próximos três anos (52%, acima dos 37% no ano passado) e nos próximos 12 meses (46%).
  • Em termos de prioridades internas, as três principais preocupações dos CEOs são crescimento orgânico (77%), redução de custos (68%) e novas alianças estratégicas (59%).
  • Os países com maiores perspectivas de crescimento de receita para os empresários do setor são:  Estados Unidos, apontado por 43% dos entrevistados, China (23%) e Reino Unido (20%)

 

Fonte: PwC

Victor Mansur

Outras postagens de

Menu